Grêmio é derrotado pelo Botafogo em jogo atrasado e estaciona na tabela

FOTO: DIVULGAÇÃO TWITTER / GRÊMIO

FOTO: DIVULGAÇÃO TWITTER / GRÊMIO

Em atuação irreconhecível, o Grêmio foi alvo fácil de um Botafogo ligado nos 220v e perdeu o jogo atrasado pela 19ª rodada do Brasileirão por 2×1. Uma tarde para ser esquecida que deixou o tricolor estacionado na sexta colocação na tabela com 36 pontos.

O jogo entre Botafogo e Grêmio no acanhado Estádio Luso-Brasileiro no Rio de Janeiro, com um péssimo gramado que mais parecia um mosaico verde, começou com polêmica logo aos 2 minutos, mas mostrara um ambiente muito a favor do Botafogo: Luis Ricardo pelo Botafogo lançou para Neilton, que botou para dentro. O árbitro anulou e estava instaurada a confusão. Após validação e invalidação entre o bandeirinha e o árbitro, o gol realmente foi anulado.

O Grêmio seguiu sendo agredido com Sassá e Neilton comandando o ataque do “Fogão”. Kanneman teve muito trabalho. Aos 9 minutos do primeiro tempo, Luis Ricardo sobiu até a ponta, mas, sozinho, arriscou o chute sem ângulo. O Grêmio tentava atacar pelos lados com Edílson e Luan triangulando.

Aos 12 minutos e meio o Grêmio não conseguia imprimir seu jogo. A transição da bola para o ataque não funcionava. Já o Botafogo tentava dominar o jogo, porém sem êxito. O jogo jogado era “estranho”.

Nos 16 minutos jogados, o alvinegro carioca pressionava muito o Grêmio pelo meio. Os volantes gremistas tinham muito trabalho, especialmente Jaílson. Mas num ataque via Edílson, que passou para Henrique Almeida que não aproveitou. Até que nos 20 minutos o prêmio ao Botafogo pelo empenho no jogo: Gol de Camilo. Um lindo gol, um gol com jogada envolvente dos cariocas que resultou na finalização de Camilo. Abria-se o placar e o Grêmio teria muito trabalho para buscar a recuperação.

O Grêmio tentava a recuperação, e aos 25 minutos do jogo, Douglas abriu na lateral para Marcelo Oliveira, mas o gremista pegou de canela e cruzou reto para longe da área do Botafogo. E então em um vacilo do volante Walace que teve a bola roubada o resultado: O Botafogo fazia o 2×0 com Sassá. Eram jogados 28 minutos da primeira etapa.

Nos 33 minutos do primeiro tempo, Camilo e Neílton aterrorizavam o Grêmio com ataques fulminantes. O Grêmio se defendia como podia e nada produzia. A pressão carioca era algo importante. Aos 39 minutos o Grêmio ainda não chutara ao gol do Botafogo. Impressionava a passividade tricolor no jogo. Nos 43 minutos o Grêmio e Roger Machado “torciam” para o final da primeira etapa. O jogo estava alinhado para o Botafogo. A primeira etapa foi até os 48 minutos e com uma declaração do volante Walace que chamou a atenção: “eu mesmo estou meio desconcentrado”

O segundo tempo começou com o volante realmente fora do prumo: Logo com 1 minuto da segunda etapa, Walace “entregou” novamente a rapadura e quase o Botafogo não amplia para 3×0. Aos 5 minutos, Luan foi cercado por Emerson e Bruno Silva e sofreu a falta do zagueiro. Edílson bateu, mas sem foco. O Grêmio parecia querer pelo menos diminuir o placar desfavorável.

Com 13 minutos o Grêmio encontrava muitas dificuldades para tentar marcar um gol. O meio campo estava muito desorganizado, e Roger trocou o “desconcentrado” Walace por Ramiro e Henrique Almeida pelo garoto Batista. Nos 17 minutos o Grêmio teve uma falta importante que foi batida por Luan sem norte nenhum. Jogados 23 minutos, as alterações feitas por Roger não surtiram efeito algum. O Grêmio seguia sem ímpeto e sem aquela “qualidade” que o tricolor por vezes mostrara em seus jogos. O Botafogo fazia da vida gremista um “inferno”, com Camilo e Dudu Cearense o tempo todo rondando a zaga do Grêmio.

Mas, com 34 minutos uma esperança gremista acontecia: O gol. Acontecia o gol do Grêmio com Ramiro ajeitando, Luan tocando na frente, e Batista ganhando de Sidão e, sem ângulo, tocou com muita categoria. O tricolor acordava na partida e ainda tinha alguns minutos para empatar.

A partida chegara aos 42 minutos com amplo domínio do Botafogo, apesar do tricolor ter diminuído no placar. Mas os vacilos gremistas eram gritantes: Uma zaga insegura, um meio campo todo modificado e um ataque que era pouco abastecido e fazia o que podia. O jogo foi até 50 minutos e terminou com um Botafogo exausto, mas que soube segurar o resultado.

Botafogo: Sidão; Emerson (E. Silva), Joel Carli, Luis Ricardo, Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Camilo, Fernandes (Dudu Cearense); Neiton e Sassá (Rodrigo Pimpão); Treinador: Jair Ventura

Grêmio: Bruno Grassi; Edilson, Kannemann, Wallace Reis e M. Oliveira; Maicon (Kaio), Walace (Ramiro), Jailson, Douglas e Luan; Henrique Almeida (Batista). Treinador: Roger Machado

Comentários

Comentários