Uma análise sobre as formações que Celso Roth pode utilizar no Inter contra o São Paulo

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

O técnico Celso Roth não conta com Vitinho e Fernando Bob para enfrentar o São Paulo, domingo, no Beira-Rio. Duas posições entre os titulares do Inter que fizeram o treinador quebrar a cabeça em testes e mais testes no Parque Gigante. Ao menos 16 jogadores rodaram entre os titulares, sem apontar a definição de time – o que deve ocorrer na tarde desta sexta (19). Danilo Fernandes treinou normalmente. Revezou com Lomba durante a atividade e deve retornar aos 11 iniciais. Abaixo, como o Inter se portou com cada uma das formações treinadas:

Duas linhas de quatro bem definidas foram vistas neste esquema.

Jair permanecia mais fixo em frente à zaga, enquanto Fabinho tinha liberdade para chegar mais perto dos meias.

Nico López descia até a intermediária de ataque para buscar a bola e às vezes caracterizava o ataque como um 4-2-3-1. Aylon atuava como homem de referência.

Enquanto Valdívia e Artur triangulavam pela esquerda em buscar de jogadas pela lateral e linha de fundo, Eduardo Sasha entrava em diagonal para o meio a fim de tentar o chute de média distância ou o passe de gol para Nico López e Aylon.

Vale destacar que este time criou poucas oportunidades de gol.

 

Quando Ceará foi testado na lateral, Celso Roth ganhou penetração pelo lado direito de ataque. Mas a saída de bola do Inter do Inter tornou-se lenta.

Eduardo ao lado de Paulão funcionou, mas Ernando como o primeiro homem no meio – Fabinho mais uma vez liberado para atacar – trouxe indefinições na saída de jogo. Em diversas vezes, O time teve de apostar na ligação direta, o que visivelmente incomodou Celso Roth. Outro detalhe importante: falhas de posicionamento por conta da improvisação de Ernando como volante pela esquerda. Artur muitas vezes teve lançamentos às costas.

Alex tinha a função de movimentar o meio e por vezes ainda caía pela esquerda em triangulações com Valdívia e Artur. Nico López, perto do gol adversário, muito mais perigoso e efetivo. Chutou duas vezes a gol e deu trabalho a Jacsson.

 

Seijas ao lado de Valdívia, Fabinho na lateral direita e Jair ao lado de Ernando foi a última formação testada por Celso Roth.

Ariel entrou na vaga de Nico López para uma mudança de postura ofensiva. O grandalhão fazia o pivô e recebia muitos cruzamentos para conclusão a gol. O time perdeu força pelos lados, mas ganhou certa consistência defensiva. Foi o momento do treino em que os jogadores mais reclamaram posicionamento uns dos outros. Principalmente, entre os volantes.

Alex, próximo a Ariel, chutou duas bolas ao gol e mostrou que pode ser opção para surpreender no caso de a bola não rondar a área.

Artur e Fabinho não se aventuraram muito para o ataque, o que sobrecarregou as funções de Valdívia e Seijas. Claramente, o pior esquema do treinamento.

Comentários

Comentários