Sobre a possibilidade de Pedro Affatato deixar a campanha à presidência do Inter

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Luiz Henrique Nuñes (primeiro à esquerda) e Affatato (segundo à direita). Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Desde o início de novembro, circula pelos bastidores do Beira-Rio a informação de que Pedro Affatato estaria disposto a retirar a candidatura à presidência do Inter. O motivo é a situação caótica do clube no departamento de futebol e a chance real de rebaixamento à Série B do Brasileirão.

A chapa 1, do União Colorada, movimento do qual Affatato faz parte, concorreria apenas para o Conselho Deliberativo do clube. Marcelo Medeiros, em uma reunião extraordinária do CD colorado, seria aclamado presidente sem a necessidade do voto do associado, dia 10 de dezembro.

O candidato Luiz Henrique Nuñes concedeu uma entrevista à Rádio Gre-Nal nesta tarde e declarou que não existe nenhuma possibilidade de a Chapa 01 deixar o pleito e associou a questão como boataria política devido ao momento conturbado o qual o clube vive. Nuñes ainda deu a entender que as informações sobre a desistência de Affatato viria da oposição. Afirmo categoricamente: não vem.

O Inter vive um momento muito delicado dentro de campo. Todos estão pensando no bem do clube. Não temos que discutir política, disse Nuñes a Rafael Serra, colunista do Mundo Gre-Nal e apresentador da Rádio Gre-Nal.

A realidade é que existem divergências de opinião quanto à deixar a disputa presidencial, mas está acertado que no caso de o Inter vir a ser rebaixado, Affatato desistirá do certame.

Comentários

Comentários