Ronaldo Rocha: “Sem querer querendo, classificamos”

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Sem querer querendo, classificamos. O que viesse, seria bem aceito. Uma eliminação faria focarmos exclusivamente no Campeonato Brasileiro e na briga pra não cair. Já a classificação nos premiaria com a possibilidade de disputar um título, depois de um ano tão sofrido como vem sendo.

Sem fazer muita força, avançamos. E passamos de fase justamente porque inexistia pressão em cima dos jogadores pela classificação. Entramos, time e torcida, de sangue doce nessa brincadeira, e, no final, não é que deu certo?

Com time reserva, o Inter equilibrou forças contra o Santos em ambos os confrontos, que, pelo contrário, utilizou titulares nas duas partidas. Fizemos por merecer a classificação. Não havia como cobrar muito mais dos reservas que entraram em campo em um time prejudicado pelo desentrosamento.

Que sigamos de sangue doce na Copa do Brasil, com gana e vontade de vencer, mas sem esquecer que o foco principal está no Campeonato Brasileiro. Na Copa do Brasil iremos jogar, enquanto no Campeonato Brasileiro iremos guerrear. Este tem que ser o espírito.

Ao contrário de algumas opiniões que respeito, só vejo benefícios em termos classificado na Copa do Brasil. Dá ânimo ao elenco, resgata a confiança de alguns jogadores e recupera a autoestima do próprio torcedor. Falo por mim. Fazia muito tempo que eu não sentia tanta satisfação com o Colorado.

Agora, foco no Gre-Nal. Faltam oito pontos!

Comentários

Comentários