Ronaldo Rocha: “O time que não queria sair do Z-4”

william

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

O time que não queria sair da zona de rebaixamento. Este é o Inter. É incrível.

Inúmeras chances já se apresentaram. Uma vitória ali, um empate aqui. Um ponto a mais conquistado acolá, um gol a menos tomado no final do jogo daqui.

Parece que, sempre que a situação se apresenta boa, com resultados paralelos auxiliando, um bloqueio paira no ar. Nada dá certo. O jogador percorre o campo inteiro, invade a área, dribla dois adversários e chuta em cima do goleiro. Outro erra o passe de calcanhar, entrega a bola pro adversário e o árbitro, fraco, dá um pênalti inexistente.

Não vou chorar pelo erro do juiz. Lembro a todos que, no último jogo, tivemos um pênalti inexistente marcado a nosso favor. Aliás, o próprio Valdívia, parte envolvida no lance, reconheceu que nada houve. A banca paga e recebe. Infelizmente é assim.

A projeção atual é de 44 pontos pra não cair pra segunda divisão. O Inter tem 33. Faltam 11. Isto são 3 vitórias e 2 empates. De onde tirar estes pontos eu não sei. Talvez faltem jogos pra tanto. Só sei que vou torcer enquanto ainda for possível.

O lado bom, numa visão otimista que tenta ver ponto positivo até nas tragédias, é que o vestiário colorado, diferente de outros jogos, saiu de campo revoltado com a arbitragem e com a derrota. Noutras ocasiões, já vimos nossos atletas saírem de campo se arrastando e chorando aos prantos. Isto, pelo menos, me conforta e me deixa com um fio de esperança.

O time parece ter recuperado o fator anímico. Agora, é guerra contra o Flamengo. E que não percamos motivados e utilizemos esta indignação a nosso favor.

Faz o teu check-in. Compra o teu ingresso. Convence o colorado que desistiu a ir no jogo. E o resto tu já sabe.

Comentários

Comentários