Ronaldo Rocha: “O dia em que Rafael Moura calou a Arena”

FOTO: ALEXANDRE LOPS

FOTO: ALEXANDRE LOPS/INTERNACIONAL

O Grêmio joga neste domingo, às 11h, na Arena, contra o Figueirense. Ao lado dos catarinenses estará Rafael Moura. E o He Man, em se tratando de Arena, me traz uma ótima lembrança.

O dia: 30/03/2014. O jogo: o primeiro Gre-Nal decisivo da final do Gauchão daquele ano. O local: Arena. O placar: 2×1 pro Inter. Os autores dos gols: Barcos, para o Grêmio, e Rafael Moura, o He Man, duas vezes para o Inter.

Era o clássico de número 400 da história. Eu estava lá, com mais 1.500 colorados.

O Grêmio saiu na frente ainda no primeiro tempo, com gol de cabeça de Barcos, após cruzamento de Pará. Só se escutava a euforia da torcida tricolor até o final do primeiro tempo.

Veio o intervalo e Abel, técnico do Inter na ocasião, sacou Jorge Henrique para colocar Alan Patrick. Resultado: o Inter virou o jogo, com dois gols de Rafael Moura, após cruzamentos de Aránguiz e Fabrício. A torcida tricolor, até então eufórica, murchou diante dos dois golpes acertados por He Man, proporcionando a festa dos 1.500 guerreiros colorados que lá estavam.

Foi um dos jogos inesquecíveis da minha vida como colorado. Não pela importância do jogo, que valia não mais do que um título gaúcho, mas por ser na nova casa do rival, que restou calada por dois cabeceios certeiros do Rafael Moura.

Este foi o dia em que He Man calou a Arena.

E aí, He Man? Vai repetir a dose?

Comentários

Comentários