Ronaldo Rocha: “Nem Deus salva”

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Quanto mais acompanho futebol, concluo que menos entendo. O Inter que jogou contra o Atlético-MG foi totalmente diferente daquele que, seis dias antes, perdeu covardemente para o América-MG. Contra o lanterna do campeonato, três volantes e postura acovardada. Diante de um dos times mais fortes do Brasil, dois volantes e um time valente. Não era pra ser o contrário?!

Tivesse jogado com o mesmo empenho quando enfrentou o péssimo América-MG e com esta escalação bem mais equilibrada, com apenas dois volantes, a vitória estaria muito mais perto de se concretizar. Mas o Inter preferiu buscar u  ponto contra o pior para, diante do melhor, tentar reagir. Estratégia completamente equivocada.

Claro que deu a lógica. Perdeu pra um time muito superior. A atuação nem foi tão boa assim, mas claro que o Inter, comparado com ele mesmo, melhorou. Infelizmente o momento de se falar em evolução já passou. Faz muito tempo que a hora é de vencer, e não apenas evoluir.

Não há mais de onde tirar forças. O treinador, que inicialmente até contribuiu positivamente, fazendo o time ficar mais equilibrado, já não encontra mais soluções e, ainda por cima, queima jogadores publicamente. Juarez, com sua antipatia e arrogância que só ele sabe ter, atira contra os próprios pés e em direção a milhares de colorados.

Pobres Seijas e Nico Lopez. Ninguém mandou vocês serem bons jogadores. Aprendam que, se jogarem bem e se mostrarem dispostos, serão sacados do time. Façam como Anderson e companhia, que passeiam em campo e andam pra situação do clube. Estes sim ganham oportunidades.

Está tudo errado com o Internacional. Não gostaria de desiludir meus amigos colorados, mas minha obrigação aqui é de falar o que penso.

O nosso querido colorado está cada vez mais com os pés na segunda divisão.

Nem Deus salva.

Comentários

Comentários