Ronaldo Rocha: “Fizeram uma Copa do Mundo, mas não levaram”

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

A primeira coisa a ser dita sobre o Gre-Nal 411 é a seguinte: que jogo horrível. Aliás, os últimos Gre-Nais têm sido assim. Ambos os times com medo um do outro e com os nervos à flor da pele. Muita pancadaria e pouco futebol. Lamento que seja assim, já vi clássicos bem melhores.

O Grêmio fez uma final de Copa do Mundo. Mais de 50 mil gremistas lotaram a Arena com o único objetivo de “afundar” o Inter. Não é a toa que bateram o recorde de público dos últimos 29 anos em Gre-Nal. Mas não levaram esse gostinho.

O Inter foi muito bem no jogo e, bem postado atrás, não deu espaços pro adversário criar. A melhor chance de gol do jogo foi do Inter, nos pés de Vitinho, numa bola que ele chutou por cima.

Poderíamos ter vencido o jogo, se não fosse o árbitro fraco que expulsou injustamente Rodrigo Dourado bem quando o Inter passava a dominar a partida, numa clara intenção de compensação. Dourado foi expulso por dar uma narigada na mão de Edílson, é a única explicação que vejo.

E não me venham falar em expulsão de Vitinho: ele não agrediu ninguém!

Independente disso, o empate ficou de bom tamanho. O fato é que o Inter cresceu de produção, o que nos permite acreditar que fará os pontos necessários (sete) e não cairá.

E não duvidem se o Inter eliminar o Galo e for pra final da Copa do Brasil. Copa é Copa!

Comentários

Comentários