Ronaldo Rocha: “Celso Roth, ao que parece, fez força pra perder”

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Não condeno a decisão de ter escalado time misto em ambos os confrontos da semifinal da Copa do Brasil. Não questiono o fato de que a prioridade do ano é o Campeonato Brasileiro e a fuga do Z-4. O que não aceito são algumas decisões do nosso treinador.

Nos dois confrontos, Roth fez alterações no time sacando os melhores jogadores do Inter de campo. Sobretudo Anderson, o melhor do Inter nos dois jogos. Roth, ao que parece, fez força pra perder. E conseguiu. Mas foi por pouco, ainda assim.

Jogo por jogo, atuação por atuação, rendimento por rendimento, o mais adequado seria a vaga ter ficado com o Inter, com Grenal na final da Copa do Brasil. Mas o Inter não quis assim. Parece estar satisfeito com a eliminação.

Inexplicáveis as colocações de Ariel e Andrigo no time e as saídas de Aylon e Anderson. Ariel, inteiro, já é insuficiente. Voltando de lesão, nem se fala. O mesmo vale pra Andrigo, que nunca é aproveitado e não tem ritmo de jogo.

Tenho convicção que, não fossem as alterações no time, muito provavelmente estaríamos comemorando um Grenal na final do campeonato. Um fato inédito.

Sabe a Lei Guerrinha? “Se tá jogando bem, tira. Periga fazer gol e ganhar o jogo”. Pois é, Roth parece tê-la estudado bastante.

Que bom que existe a Lei Guerrinha pra explicar algumas coisas no futebol…

Comentários

Comentários