Roger Machado: “Eu procuro trabalhar o hoje. O amanhã ainda não chegou.”

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

O treinador gremista falou após o trabalho da manhã desta sexta-feira (12) sobre a baixa do Negueba para domingo, elencou como testou novos esquemas e ainda falou sobre Walace e Luan.

A semana foi “cheia” para Roger Machado testar, trabalhar e observar como o time do Grêmio poderá se postar domingo perante ao Corinthians às 11h na Arena pelo returno do Brasileirão. Foram diversas formações testadas pelo técnico, bem como alguns jogadores testados em determinadas funções.

Roger ao ser abordado sobre os esquemas testados na semana: “Treinei outras alternativas, e mesmo que Negueba não jogue, por esse lesão, tem o Everton que treinou bem. Pedro Rocha também treinou bem nessa semana, Ramiro seria outra opção também mais para o meio. O Henrique Almeida é mais pra frente e para começar o jogo ele não seria opção. Não sei ainda realmente, vamos esperar até amanhã, porque tem treino também”.

Questionado sobre as possíveis transações/ propostas por Walace e Luan: “Aqui a gente fala semanalmente em reuniões. O que é passado pra gente é que eles (Walace e Luan) não têm propostas, agora, o mercado começa a se agitar nessa fase de janela e com os atletas indo bem na olimpíada… tuso isso faz parte. Hoje eu não conto com eles, até porque eles não tão aqui hoje e o que tenho é o material humano de hoje. Assim que eu procuro trabalhar… com o que tenho… o hoje. O amanhã ainda não chegou.”

Com relação as opções de jogo: “eu comecei essa mostra na sexta retrasada quando ali fizemos um jogo treino e eu monteu uma linha com cinco no meio, e com três zagueiros. Aí na segunda-feira passada abri a semana da mesma forma, não com Ramiro na ponta como eu havia testado. Se você ver eu tenho oito atletas atrás da linha da bola, depois na trasição sendo dois enganches até a frente. No mais, foi bom porque faz com que se mude um pouco o contexeto eu vejo o jogador se reorganizando e isso é extremamente relevante. O ideal quando pra quando tu formatar um sistema é ter tempo, mas como no Brasil é tudo rápido, a gente bora pra rodar e observa pra ver como vai.”

Perguntado sobre o Corinthians: “o treinador que chegou lá vai colocando seu trabalho. Eles tem toques rápidos, bastante triangulação pelo lado da bola, alcançando a linha de fundo hora com laterais em amplitude e isso permite que os atacantes agridam a área com bastante gente… Vai ser um jogo muito difícil. Temos que criar um clima no estádio que intimide o time deles, não o nosso.”

Sobre a manutenção do esquema atual: “a gente consegue criar quando a gente fazer o que se propõe. Os últimos jogos foi diferente pela dificuldade dos jogos. Do outro lado teve um equipe que se propôs a jogar e eu tenho que ver e entender o porque das questões e nos últimos dois jogos os adversários nos impediram de jogar e iremos ter dificuldades em outros momentos.”

O Grêmio deve enfrentar o Corinthians com: Grohe, Edílson, Geromel, Wallace Reis e Marcelo Oliveira; Jaílson, Maicon, Guilherme ou Everton, Douglas e Pedro Rocha; Miller Bolaños.

Comentários

Comentários