Quetelin Rodrigues: papo com o Espinosa em BH “Casa do meu coração”

Foto: Quetelin Rodrigues/Mundo Gre-Nal

Foto: Quetelin Rodrigues/Mundo Gre-Nal

Um papo com o Valdir Espinosa! Nada melhor para começar a curta temporada em Belo Horizonte. Fomos até a concentração do Grêmio para dar sorte. Do meu lado, minha amigona Bianca Molina, também jornalista. Um papo um tanto longo com o coordenador técnico do Grêmio, selecionei abaixo alguns trechos. A entrevista completa estará no meu canal no Youtube, na quinta-feira. Te inscreve.

Sobre o primeiro jogo da semi:

Jogo difícil, jogo importante, mata-mata de Copa do Brasil. Mas nós temos confiança nos jogadores, no que eles vêm demonstrando, vem fazendo e nós acreditamos que vamos a final.

Sobre o retorno ao Grêmio:

Um sonho que eu demorei não sei quantos anos pra realizar. Essa casa é o meu coração, é o meu Grêmio, a minha terra. É difícil porque quando eu vou pro lado do torcedor eu fico um bebê chorão, mas eu preciso separar, preciso ser profissional. Eu aprendi que eu posso ser as duas coisas, posso ser profissional e posso ser torcedor.

Sobre voltar a trabalhar com o Renato:

É o ônus que paga o pai trabalhar com o filho, porque o pai cobra, mas tem dias que eu tenho vontade de dar uns cascudos também (risos). Mas o Renato vem me surpreendendo a cada dia. Apesar de eu não jogar futevôlei, nós estamos sempre juntos. E apesar dele não jogar tênis (risos) e também não jogar golfe… (mais risos). Mas falando sério, o Renato tem me surpreendido muito, pelo que ele vem fazendo, as situações que ele tem criado. Ele vem fazendo perguntas interessantes… Realmente, o Renato vem crescendo.

Comentários

Comentários