Quem é Charles, o volante que Falcão chamou para o grupo profissional do Inter

Foto: divulgação Inter

Em menos de dois anos, a vida de Charles Rigo mudou. O jogador que atuava pelo Santo Ângelo na Segunda Divisão gaúcha deixou o time B do Inter para ser a nova promessa de Paulo Roberto Falcão. Com 20 anos e 1m87cm e pouca história em categorias de base, chamou a atenção do maior volante que o Beira-Rio já conheceu. Um treinamento do time sub-23 com o profissional e a circunstância de não ter Fernando Bob, suspenso, e Rodrigo Dourado, com a seleção olímpica, bastaram para que o novo treinador chamasse o guri de Santiago, município a 440 quilômetros de Porto Alegre, no sul do Estado, para compor o grupo profissional.

O curioso é que Charles não passou pelas etapas costumeiras de um jogador de futebol. Chegou no Inter já com 19 anos, na última etapa da formação do atleta. No ano passado, Luís Eduardo Paluga Martins, ex-diretor das categorias de base do clube e atualmente coordenador do movimento União Colorada, viajou até Bento Gonçalves em busca de um zagueiro em uma partida entre Esportivo x Santo Ângelo. Havia interesse em um gigante de 1m95cm, nascido em 1995. A intenção era trazê-lo para Alvorada, mas o bote no mano a mano e a lentidão na recomposição do setor desconfortou Paluga. Charles, porém, improvisado como lateral-direito, chamou atenção. Uma conversa rápida, ainda no vestiário do Santo Ângelo, ao final da partida, sacramentou a passagem de Charles para a Morada dos Quero-Queros. Ao final do Estadual, Charles vestiria a camisa do Inter.

Charles é forte, robusto, veloz. Pode atuar como primeiro ou segundo homem do meio-campo. Tem um biotipo que se destaca pela condição física. Na Copa São Paulo, foi um dos destaques. Começou no Cruzeiro, de Santiago, passou pelo Pelotas até chegar no Santo Ângelo. Iniciou a carreira como meia, mas como todo jovem que busca espaço em clube de menor expressão, já jogou como lateral-direito e até mesmo zagueiro.

Algumas virtudes: ser ambidestro, não ter medo de chutar a gol e ser bom na conclusão de cabeça – ele gosta de entrar na área e aparecer como elemento-surpresa. Seu contrado vai até 2020. Como Falcão tem poucas opções para o setor defensivo do meio-campo, deve ficar ao menos no banco contra o Corinthians, domingo, no Beira-Rio.

Comentários

Comentários