Portaluppi: “Quero seguir colocando meu nome na história do Grêmio”

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

O treinador gremista falou após o resultado positivo no Mineirão. No jogo de ida na final da Copa do Brasil, o Grêmio venceu por 3×1 o Galo. Ele destacou que todo cuidado é pouco e ressaltou pontos como “pés no chão”, “treinamento” e destacou a individualidade dos jogadores que aparecem quando a equipe joga bem no coletivo. Revelou que quer seguir colocando seu nome na história do Grêmio.

Sobre o jogo e a vantagem:

“O resultado aconteceu na base do treinamento e fomos bem. O meu grupo tava pronto. O Grêmio não jogou bem hoje, ele vem jogando bem. Temos treinado bem, por isso fechamos os portões às vezes, olhamos videos e passamos pro grupo. Teve a entrega, eles fizeram o que pedimos. Em momento algum se intimidou, jogamos pra fazer gols. Conseguimos a vantagem, mas nada está definido. Contra o Cruzeiro foi assim e tomamos um pressão na Arena. Todo cuidado é pouco.”

Com relação ao bastidor do plantel e sobre Recife:

“O grupo tá blindado. Do presidente ao roupeiro. Segunda-feira todos concentram e iremos fazer o que estamos fazendo. Quanto a Recife já estava definido, há uma semana atrás, me reuni com a diretoria e vai uma outra equipe pra lá e outra comissão técnica. Estamos numa final de Copa do Brasil e isso está decidido há semanas atrás. Vamos treinar, sexta, sábado, domingo, segunda, terça e quarta iremos pro jogo.”

Da relação com Valdir Espinosa e seu auxiliar Alexandre Mendes:

“O Grêmio do Gabeira foi muito bem contra o Cruzeiro (uma brincadeira com seu auxiliar que Renato prometeu explicar após a Copa do Brasil). O Espinosa é sempre uma satisfação trabalhar com ele. Quando ele me dirigiu, ele tinha cabelo, aí me largou e ficou careca. Algo está errado” – Renato respondeu em tom de descontração

Sobre o atacante Pedro Rocha:

“A gente aposta nele há muito tempo. Taticamente ele é muito bom jogador. Ele fez dois gols muito bonitos, e ele não errou outros gols. Temos de destacar o Victor que é grande goleiro e fez as defesas. Mas depois ele foi expulso e o Atlético fez o gol. No momento que coloquei o Everton, eu sabia que teria espaços e podia ter resultado nesses espaços, e teve. Foi o que aconteceu”.

Respaldo do trabalho pela diretoria:

“Sempre falo que 5 ou 6 cabeças pensam melhor que uma. Conversamos bastante, trocamos ideias. Com as opiniões deles, fortaleço minhas opiniões. Por isso que falo sempre: Minhas ideias são fortalecidas pela troca de ideias com eles.”

Com relação a maturidade e uma possível virada na Arena:

“Ela pode acontecer, mas vamos lutar pra que não aconteça. Eles tem todas as condições de virar isso na Arena. Vamos esquecer essa vantagem, pra se precisar no final do jogo na Arena jogar no regulamento. Temos os pés no chão e iremos jogar mais 90 minutos”.

Sobre o meio campo e a qualidade do time:

Todo o time do Grêmio jogou muito bem. Exibição de gala. Jogamos mais contra o Atlético do que contra o Cruzeiro. A equipe foi muito bem e naturalmente eles se destacam. Dei os parabéns para eles no vestiário.”

Sobre Geromel ter feito uma jogada a la Renato:

“Aí não! Menos ! Bem menos! Foi uma jogada bonita, mas… (em tom de brincadeira com a reportagem).”

Com relação a entrar novamente na história gremista, desta vez como treinador:

“Fico feliz pela lembrança dos torcedores. Minha história tá la. Usei isso na preleção pro meu grupo, dizendo que eles podem fazer o mesmo. Quero seguir colocar meu nome na história do Grêmio com mais títulos como treinador.”

Comentários

Comentários