Paulo Inchauspe: “Era pra ser só futebol, mas…”

foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR

foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR

O tricolor passa por momentos delicados em campo e isso todos nós percebemos.

A sensação de que Roger teima em não colocar em campo atletas que apresentam melhores condições do que os que ele tem escalado nos assusta, frases do tipo “ele sabe porquê não está tendo mais oportunidades” nos deixam incrédulos de que só futebol não resolve tudo. Pensemos: a gestão de atletas novos em campo, mais a pressão por necessidade de títulos, mais a obrigação de conquistar algo esse ano ainda, mais a instabilidade dos craques (embora eu acredite que craque mesmo resolve quase sempre) se somam a nossa inabilidade de compreender porquê o Grêmio quando embala, para.

Me pergunto o que acontece dentro dos vestiários, nos treinos, nas viagens, na noite… O que desestabiliza o Ramiro que foi expulso duas vezes em uma semana por exemplo. O que desequilibra o Luan que em algumas partidas deslancha e em outras erra uma enormidade de passes? Onde estão as jogadas de ataque?

Roger é uma grande aposta e em vários momentos demonstrou total habilidade com os jogadores mas ultimamente não consegue ter reação para mudar o jogo. Faltam craques no time? Não temos reposição para os titulares? A zaga já deu provas claras de que está com seríssimas dificuldades.

E o que se treina então nos dias de treino? Vamos criar a oração da bola aérea para rezar no estádio e em casa nos dias de jogos?

Faço essas perguntas nesse espaço e espero realmente que vocês que apreciam e entendem de futebol me ajudem a encontrar as respostas. Tenho tido dificuldades para explicar para os meus dois gremistas aqui em casa (um de treze anos e outro de oito) o que acontece com nosso time.

Nos falamos por aqui. Obrigado por me lerem e fiquem à vontade para comentar, compartilhar e sugerir assuntos!

========================================

Paulo Inchauspe

Paulo Inchauspe é gremista, tem 46 anos e é natural de Santana do Livramento.
 Mora em Porto Alegre desde os cinco anos de idade. Em 1983 jogou na escolinha do Grêmio como goleiro mas a sua falta de habilidade o levou para o mundo da música. Hoje, depois de 15 anos trabalhando como radialista, Inchauspe é produtor musical, guitarrista, idealizador do projeto Fossa Nova e pai do João e do Arthur.

 

Comentários

Comentários