Os motivos para Aylon e Nico López acertarem o ataque do Inter

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Cruzamentos para a área sem ninguém para aproveitá-los. Toque de bola envolvente sem um matador para finalizar as jogadas. Vazio dentro da pequena área. Ausência de um jogador de finalização para aproveitar rebotes do goleiro. Estes são os principais problemas do Inter antes de encarar o Fortaleza com dois jogadores que sabem fazer a função de centroavante. Com Nico López e Aylon como dupla de ataque, o Inter teve as oportunidades e não as desperdiçou. O time de Celso Roth mandou a bola para o fundo das redes três vezes, encaminhou a classificação às quartas de final da Copa do Brasil e deu início (talvez) à uma nova fase no vestiário colorado.

– Não tive oportunidade com o Falcão, agora estou tendo com o Roth, espero que essa zica vá embora – disse Aylon, vice-artilheiro do Inter na temporada, com 10 gols marcados.

Na vitória diante do Fortaleza, Nico López finalizou cinco vezes a gol – três foram certeiras e uma delas entrou. Aylon, por sua vez, mandou duas bolas em direção ao gol. As duas entraram. Nico e Aylon ainda contribuíram com uma assistência cada e, a julgar pela coletiva de Celso Roth e pelas palavras do vice de futebol Fernando Carvalho, permanecerão na equipe na partida contra o Santos, dia 8, na volta do Brasileirão – em que o Inter é o 17º lugar e está na zona de rebaixamento.

– Aylon cheira a gol. Importante que é mérito dele. E as características dele e Nico casaram dentro de campo – resumiu Carvalho.

De fato, com Aylon e Nico o Inter teve movimentação, toque de bola, finalização e tranquilidade na frente. Com Vitinho e Sasha, por exemplo, a bola roda próxima à área, mas a ausência de um atleta para concluir é a principal adversidade colorada. Na noite de quarta-feira (31), quando Aylon não estava na área, Nico López estava. O segundo gol, por exemplo, saiu de um rebote em que Nico mostra oportunismo e inteligência para não ficar em impedimento na hora do chute. Já no terceiro gol, a espirrada na pequena área após cabeceio de Ernando encontrou Aylon pronto para definir a partida e trazer paz – ainda que momentânea – ao Beira-Rio.

Comentários

Comentários