Os bastidores da briga que coloca em xeque o futuro de Anderson no Inter

Foto: Alexandre Lops/Internacional

Foto: Alexandre Lops/Internacional

Poucos viram o que aconteceu. Em determinado momento do treino desta sexta-feira (14) no Beira-Rio, Anderson e William trocam frases curtas em meio à uma atividade de finalização. Em segundos, o meia acerta um soco na boca do companheiro. O revide do lateral vem de imediato, com a tentativa de um chute. A turma do deixa disso contém os atletas, que saem do treino e são dispensados das atividades até a segunda-feira (17) à tarde, quando o assunto será tratado com calma, cabeça fria e sem a tensão de uma partida decisiva como a de domingo, contra o Flamengo.

Ninguém no departamento de futebol entendeu o acontecido. Pessoas com trânsito no vestiário colorado destacam que não há qualquer rixa ou desavença entre Anderson e William. Destacam, ainda, as características do ex-atleta do Manchester United no dia a dia: um funcionário brincalhão, divertido e que poucas vezes aparenta ter problemas – tanto pessoais quanto profissionais. Veja imagens da confusão:

Há informações de bastidores, contudo, que dão conta de que o meia não é benquisto no grupo. Seu alto salário – são R$ 500 mil mensais, em carteira – e a falta de compromisso com a equipe para um atleta tão técnico e com tantos títulos conquistados deixaria os companheiros incomodados. Ao longo desta semana, o vazamento da lista dos quartos da viagem para o Rio de Janeiro, quando o Inter enfrentou o Botafogo, mostrou Anderson sozinho no hotel, enquanto os demais jogadores dividiam quarto. Um dos integrantes da direção de futebol rebate qualquer problema:

– Quando a delegação tem número ímpar, alguém tem de ficar sozinho. Na viagem passada foi o Ceará.

Fernando Carvalho foi até a casa de William no final da tarde desta sexta. Queria saber a versão da história de William e ajudar no que fosse preciso uma vez que o camisa 2 teve um dente trincado pelo golpe do armador. William estava com a namorada e muito irritado. Enquanto isso, na coletiva na sala de imprensa do Beira-Rio, o técnico Celso Roth colocava panos quentes na história:

– Não vi acontecer. Estava de costas, tomando água. Obviamente que conversaremos com os dois jogadores. Mas é questão de treino. Não é para acontecer, mas, de vez em quando, acontece. Quando chegarmos no vestiário, vamos colocar as coisas nos seus devidos lugares.

Não é a primeira vez que Anderson se envolve em confusões em sua passagem pelo Inter. Aos 28 anos, 81 jogos e cinco gols marcados, o camisa 8 insultou uma torcedora pela internet e foi o principal alvo de protestos da torcida em um treino no Beira-Rio. Na reunião do Conselho Deliberativo do Inter, no final de setembro, conselheiros chegaram a pedir a rescisão de seu contrato para o presidente Vitorio Piffero.

Em dezembro do ano passado, o Inter chegou a receber uma proposta por Anderson de R$ 25 milhões oriunda do futebol chinês. O mandatário colorado estipulou R$ 40 milhões para liberá-lo e o negócio sequer evoluiu. O contrato de Anderson com o Inter vai até o final de 2018.

anderson

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Comentários

Comentários