Jéssica Loures: “Para Minas Gerais, o Galo espera sentado seu adversário na final”

Foto: divulgação CBF

Foto: divulgação CBF

Aqui em Minas é praticamente impossível achar um Atleticano que não está embriagado pela confiança que o resultado no sul lhe rendeu. Mas achar um cruzeirense crente em uma virada histórica é desafiador. Os principais jornais do estado falam em “sacramentar vaga na final” e busca pelo “primeiro título de Robinho pelo Atlético-MG”. A confiança é sentida de longe e nenhuma surpresa, como pênaltis ou derrota, é cogitada.

O jornal “Estado de Minas” cita imposição do jogo dos mineiros no Horto, sendo a Copa do Brasil prioridade da equipe alvinegra como “a chance de título da temporada”. Lucas Pratto afirmou que o Galo precisa ser “protagonista” da partida desta quarta-feira.

Pelo lado azul do estado, o jornal estampa “desafiar o improvável” no jogo contra o Grêmio, na Arena. A matéria cita feitos históricos do Cruzeiro onde havia desvantagem pelo primeiro confronto, como o título da Supercopa de 1991, contra o River Plate e o gol de Geovanni nos acréscimos na Copa do Brasil de 2000.

O jornal “O Tempo” menciona “quebrar tabu” em Porto Alegre – vencer o adversário que ganhou o jogo de ida por dois gols de diferença. “O Tempo” também estampa em sua capa “acostumado a reverter placares”, já colocando o Galo na final da competição.

O periódico “Hoje em dia” insere Lucas Pratto como “carrasco do Inter” e afirma que o capitão cruzeirense Henrique está preparado para classificar o time celeste na Arena.

Muita confiança por um lado e muita esperança por outro. Para Minas Gerais, o Galo espera sentado seu adversário na final enquanto o Cruzeiro vai em busca de uma difícil classificação. Tudo isso sem levar em conta que o Internacional pode surpreender e que o Grêmio pode não deixar o Cruzeiro jogar no Rio Grande do Sul.

Comentários

Comentários