Inter perde com gol de pênalti e segue no Z-4 a dois jogos do clássico Gre-Nal na Arena

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Um empate no Rio de Janeiro bastava para que o Inter deixasse o Z-4 e passasse a depender apenas de si para afastar o fantasma da Série B. Como de costume, o sacrifício terá de ser feito na sequência do Brasileirão. Um gol de Sassá aos 40 minutos, de pênalti, manteve o time de Celso Roth entre os quatro do descenso, quebrou a pequena série de duas vitórias conquistadas em casa e apontou, mais uma vez, problemas de postura do Inter em campo – sejam eles táticos, técnicos ou de brio. O revés faz o Inter ficar em 17º na tabela, a um do Sport (16º).

Pouca técnica e muita disposição foi o que se viu no primeiro tempo no Luso-Brasileiro. Valdívia escalado como armador centralizado e Alex pela esquerda comprometeram o sistema de ataque e deixaram o time moroso e sem perigo na frente. Atrás, a marcação após a intermediária defensiva fazia o Botafogo rondar de tempo em tempo a frente de Danilo Fernandes. Por bem do Inter, Paulão e Eduardo – substituto do suspenso Ernando – fechavam bem os espaços pelo meio do campo. Porém, Ceará, por vezes, perdeu na velocidade para Neilton e comprometeu como há muito não acontecia.

O Inter tinha uma postura evidente: jogar fechado, marcação firme no experiente e movediço Camilo e apostar na velocidade de Vitinho para os contra-golpes. Por óbvio, não deu certo. Foi o Botafogo quem teve as principais chances do primeiro tempo e o Inter apostou em chutes de fora da área. Na saída para o intervalor, Alex apontou a marcação alta como estratégia do Inter, mas não foi o que se viu no Rio de Janeiro:

A estratégia é marcar no campo deles. Roubamos algumas bolas. Precisamos melhorar a posse de bola, mas ainda levamos perigo. Finalizamos, mas é um jogo equilibrado, de paciência.

O Inter veio para o segundo tempo ainda mais apático. Aproveitando o resultado, o ponto conquistado que o tirava da zona de rebaixamento, criou pouco. Camilo, Pimpão, Neilton e Sassá enfernizavam a defesa colorada. E o Botafogo tinha o controle do jogo até que, aos 21 minutos, Sidão fez um milagre após jogadaça de Vitinho. O atacante venceu Airton, ex-Inter, na velocidade, deu um drible desconfortante no defensor e bate de chapa para o gol. O substituto de Jeferson, em cima do lance, defendeu uma bola à queima-roupa.

Aos 26, foi a vez de Danilo Fernandes protagonizar uma defesa salvadora em chute de Pimpão. Três minutos depois, mais um chute de Pimpão acabou bloqueado por Eduardo. Acontece que, perto dos 40 minutos, o Botafogo teve um pênalti marcado em jogada infantil do zagueiro Eduardo. A bola disputada com o atacante carioca estava para sair pela linha de fundo e o defensor colorado usou das mãos para empurrar o adversário. Sassá só teve o trabalho de deslocar Danilo Fernandes.

Mais dois jogos para o Inter e sua torcida sofrer: Flamengo, domingo, no Beira-Rio, e Grêmio, na outra semana, na Arena. A rodada ajudou. Como sempre, o Inter…

Comentários

Comentários