Forno aquecido: A política do Grêmio e seus ingredientes 

FOTO: PEDRO ESPINOSA / MUNDO GRE-NAL

As correntes políticas de oposição e de situação do Grêmio estão cada vez mais em estado de alerta e prontas para a data do dia 18 de outubro, quando ocorrerá a eleição do Conselho Deliberativo do Grêmio.

As informações que chegam dos bastidores da Arena são de que o “forno já está aquecido” e pronto para os ingredientes, mas com certas discordâncias.

A oposição se lançará na candidatura do pleito com Carlos Biedermann e Alexandre Bugin como seu vice. Já o lado da situação irá com Gabriel Fadel e de vice Juliano Ferrer. 

Há um certo desconforto com relação ao nome de Fadel por alguns componentes da situação. Um fonte ligada ao conselho revelou que há esse certo desconforto, pelo fato de que as discordâncias de filosofia e política são latentes entre alguns em comum na situação e com isso, perde-se união. Tudo isso seria com relação a Arena. Fadel é o nome que é do agrado do Presidente Romildo Bolzan.

São esperados cerca de 250 conselheiros para a votação.

Comentários

Comentários