Em confronto direto, Grêmio vence a Chapecoense, respira na tabela e ainda sonha com G-4

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

Pela 27ª rodada do Brasileirão, o Grêmio encarou a Chapecoense na Arena. Era um tricolor que buscava a reabilitação na competição. O Grêmio não vencia há um mês e estava em 11º colocado com 37 pontos. O time de Santa Catarina duelava posição com o time gaúcho e estava na 10ª colocação com um ponto na frente, somando 38 pontos. O confronto direto foi melhor para o tricolor que somou 3 pontos e respirou um pouco mais aliviado nesta rodada com a vitória por 1×0 somando 40 pontos e ficando em 8º lugar na tabela.

Jogados 5 minutos da primeira etapa os times se especulavam muito. Um movimentado o início de jogo com lançamentos profundos. O tricolor parecia confuso e nervoso com algumas vaias logo no início de jogo. Aos 8 minutos Grohe salvara o tricolor após um chute potente do meio campo Cleber Santana. O Grêmio imediatamente contra atacou e com perfeição aos 10 minutos: Pedro Rocha puxou o contra golpe, passando para Walace pelo corredor esquerdo, que devolvera para Pedro que chutara rasteiro e cruzado sem chance para o goleiro da Chapecoense. Estava aberto o placar, Grêmio 1×0.

Com 17 minutos o Grêmio se acalmou no jogo com placar a seu favor, jogando com a bola mais no chão sem tanta ligação direta. O time de Caio Júnior tentava atacar o Grêmio como dava com Kempes, mas nada de perigo era criado. A zaga gremista se postara muito bem. Jogados 25 minutos do primeiro tempo, o Grêmio seguia pressionando com Pedro Rocha e Luan. O meia Douglas criava muitas jogadas e o time tricolor atuava com bem mais tranquilidade. O atacante Henrique Almeida, bancado pela comissão técnica, até então, não tocara na bola. A Chapecoense mostrou as armas com Lourency aos 26 minutos, que na pequena área, furou em bola. Com 31 minutos de jogo, Henrique Almeida ensaiava algumas jogadas, mas todas sem êxito. O time de Santa Catarina marcava muito e tentava conter como dava as investidas do ataque gremista.

Jogados 36 minutos no primeiro tempo, o jogo acalmara em todos os sentidos. O Grêmio atacava menos e administrava mais. A Chapecoense tentava algumas jogadas, mas parava na forte marcação de meio campo gremista. Aos 41 minutos o jogo era caracterizado por muitas faltas, mas com uma posse de bola maior por parte do Grêmio. O primeiro tempo foi até 46 minutos.

O segundo tempo começou com um Grêmio na mesma formação da primeira etapa. Aos 6 minutos o Grêmio trabalhara a bola da mesma forma que no primeiro tempo. Walace avançava mais em direção a área da Chapecoense. O time de Santa Catarina especulava e se defendia muito. Havia pouca criação por parte do time de Caio Júnior, que tinha em Cleber Santana a maioria dos inícios de jogadas. Kempes não aparecera no jogo. Aos 12 minutos, Henrique Almeida finalmente apareceu no jogo: Chutou forte e obrigou o goleiro Danilo a espalmar. Jogados 20 minutos do segundo tempo, o jogo estava mais para o Grêmio ampliar o magro placar de 1×0 que ainda não dava a total tranquilidade. A Chapecoense tinha lampejos de jogadas com Josimar e Kempes.

Com 25 minutos, o Grêmio já modificado com Guilherme em campo na vaga de Henrique Almeida tentava ampliar, mas a Chapecoense se aproveitou de um erro de marcação e quase empatou com um cabeceio de Kempes. Por pouco os catarinenses não anotaram seu gol. Jogados 33 minutos, Guilherme e Pedro Rocha atacavam muito a Chapecoense. A torcida do Grêmio queria mais. Apoiava muito o time em campo, mas queria mais gols. O time de Renato parecia controlar o perigoso placar de 1×0 já com 35 minutos da etapa complementar.

Aos 41 minutos do segundo tempo, Renato colocou o zagueiro Thyere na vaga de Pedro Rocha. Realmente, o resultado de 1×0 era do agrado do comandante gremista. O Grêmio já mais ou menos administrava o resultado. O jogo foi até os 48 minutos e contou com a estreia do garoto Sandows Ty que entrou na vaga de Douglas.

Grêmio: Grohe, Ramiro, Geromel, Wallace Reis e M. Oliveira; Walace, Jaílson, Douglas (Ty) e Luan; Pedro Rocha e H. Almeida (Guilherme). Técnico: Renato Portaluppi

Chapecoense: Danilo, Gimenez, Thiego, R. Lima, Dener, Josimar, Mateus Biteco, Arthur Maia (Ailton), Cleber Santana, Kempes (Alan Rushel), Lourency (B. Rangel). Técnico: Caio Júnior

Comentários

Comentários