Documento do Inter ao Coritiba pede dispensa de Ceará e não condiciona assinatura após exames

FOTO: DIVULGAÇÃO / CORITIBA FOOT BALL CLUB

FOTO: DIVULGAÇÃO / CORITIBA FOOT BALL CLUB

O Caso Ceará está longe de ser resolvido. E o Inter pode ter o principal dano na história toda. Tudo porque o Coritiba tem amparo jurídico para receber do clube gaúcho o valor estipulado pela transferência do lateral-direito do Couto Pereira para o Beira-Rio.

Trata-se de um documento enviado desde Porto Alegre para Curitiba, assinado pelo diretor de futebol Marcos Marino, que pede a dispensa imediata de Ceará do Coxa a fim de assinar com o Inter. O Mundo Gre-Nal teve acesso ao manuscrito, que continha, inclusive, um erro de português na abertura, utilizando-se o verbo “vir” de forma incorreta – “viemos por meio desta” no lugar de “vimos por meio desta“.

Em nenhum momento o arquivo destaca a concretização do negócio apenas se ou com a condição de Ceará passar nos exames médicos feitos nesta tarde no Beira-Rio. Justamente por isso, Ceará assinou sua rescisão junto ao Coritiba e está livre no mercado.

Um advogado ouvido pelo Mundo Gre-Nal afirma que o trâmite criou a chamada “expectativa de direito”. Ceará teria todo o embasamento jurídico para “sentir-se jogador do Inter”:

A expectativa que o jogador tinha de atuar pelo Inter, desligando-se do antigo empregador e sua viagem a Porto Alegre, teria criado o vínculo de trabalho. Ele fala como jogador do clube no aeroporto. Vai ao clube, realiza exames. O Inter tinha interesse em negociar com ele e contratá-lo.

O Inter ainda não pagou ao Coritiba o R$ 1 milhão da negociação. O caso, se não resolvido de forma amigável, tende a ir para a Justiça.

Comentários

Comentários