Do “golpe na eleição”, ligações em trocas de voto e a semana do Inter além das quatro linhas

Foto: Alexandre Lops/Internacional

Foto: Alexandre Lops/Internacional

Na próxima quinta-feira (3), haverá uma explanação das três chapas que concorrem ao segundo turno na eleição do Inter em uma reunião do Conselho Deliberativo. O encontro ocorre no Centro de Eventos e será aberto aos sócios. Nos bastidores, alguns assuntos estão muito quentes. Abaixo, listo algumas questões que estão em evidência nos bastidores políticos do Inter. Vale destacar: para cada boato, há informação com base em apuração:

  • Os três candidatos – Pedro Affatato, Marcelo Medeiros e José Amarante – telefonam incessantemente aos líderes de cada movimento político em busca do voto que os levará ao segundo turno. Como em toda negociação, cargos dos mais diversos são oferecidos aos conselheiros que aderirem à nominata. Isso se trata de informação, não apenas especulação nos corredores do Beira-Rio;
  • A matemática no Beira-Rio não está apenas na fuga do rebaixamento. Os grupos políticos fazem contas a respeito dos votos entre os 343 conselheiros e como aglutinarão a porcentagem necessária para ir ao pátio e buscar o aceite do associado, em dezembro;
  • Dentro desta equação, há o “receio” de que a Situação, com número confortável de cadeiras do CD a seu favor, divida votos e “escolha” o candidato a enfrentar no segundo turno. A tentativa, por óbvio, é tirar Marcelo Medeiros – favorito ao pleito – da jogada e tem sido chamada de “golpe” na eleição colorada. Importante: apurei a real possibilidade desse fato. A conversa está na boca de conselheiros de oposição (não apenas nos que apoiam o candidato do Movimento Inter Grande – MIG). Mas o grupo de Pedro Affatato não teria votos suficientes no CD para escolher um adversário. A Situação precisaria do apoio em massa do Inove Inter, do Povo do Clube e do Acorda Conselho. O que não deve ocorrer;
  • Pedro Affatato estaria disposto a deixar a eleição se o time fosse desclassificado na Copa do Brasil nesta quarta-feira (2). A campanha de Affatato está baseada na conquista da Copa do Brasil e em todas as atividades e feitos além do futebol – na entrevista ao Mundo Gre-Nal fica evidente isso. Em contato com pessoas ligadas a Affatato, há negativa veemente quanto à esta possibilidade. A chapa do atual vice de finanças, inclusive, trama um evento para lançar campanha logo após a quinta-feira, quando deve ser efetivada no segundo turno.

Comentários

Comentários