Daniel Matador: “G-6? Até serve, mas queremos a Copa do Brasil!”

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

FOTO: LUCAS UEBEL / GRÊMIO

“Cavalheiros, vocês tinham minha curiosidade, mas agora vocês têm minha atenção!”

Calvin Candie, personagem de Leonardo DiCaprio em Django Livre.

Caros

A vidinha do tricolor no Campeonato Brasileiro parecia fadada à modorrenta conquista da já afamada Taça Sétimo Lugar, prêmio este que costuma ser objeto de disputa de vários clubes todos os anos. Sim, por incrível que pareça, há quase um fervor religioso por parte de algumas agremiações em conquistar esta posição. Talvez para que os dirigentes possam dizer, ao final da temporada, frases como “mesmo com um grupo tecnicamente inferior, quase chegamos à Libertadores” ou “faltou pouco, mas isso prova que estamos no caminho certo e ano que vem chegaremos fortes para a disputa”.

O fato é que, do dia para a noite, as coisas mudaram de figura. As vagas para a Libertadores da América de 2017, que antes apenas geravam curiosidade naqueles times que encontravam-se nas posições intermediárias, subitamente passaram a despertar a atenção destes. O que era apenas uma possibilidade ínfima passou a ser uma chance concreta. O que era um sonho distante tornou-se uma realidade palpável.

“Ah, mas se é para disputar a Libertadores assim, eu nem quero!”. Quem fala isso não tem noção do que diz, por várias razões. Não apenas a obviedade de que somente participando de uma competição será possível conquistá-la, como também o fato de que este tipo de competição, ao ser seguidamente disputada, acaba habituando o clube a ela. O espírito dos jogadores necessita ser forjado neste tipo de certame. Sentir a pressão de um Defensores del Chaco ou de um Monumental de Nuñez forma caráter e cria casca. E isso costuma diferenciar bons times de times campeões.

Minha singela opinião: gostaria mesmo que uma provável vaga à Libertadores da América pudesse vir através do título da Copa do Brasil. Seria a situação ideal, pois mataria dois coelhos com uma cajadada. Encerraríamos um desconfortável período sem grandes títulos e entraríamos na briga continental com moral de campeão. Se não for possível, ok. Uma disputa pela América é sempre bem-vinda, não importa de que jeito for. Mas tenho absoluta certeza que qualquer gremista, neste momento, deseja muito que ela venha com a conquista do penta da competição nacional. E é totalmente possível. Restam apenas 5 jogos. E eles podem mudar toda a conjuntura tricolor para esta e a próxima temporada.

Vai dizer que não?

Saudações Imortais

Comentários

Comentários