Após absolvição no STJD, Inter pede cuidado à torcida para atos de vandalismo no Beira-Rio

Absolvido pelo quebra-quebra da partida contra o Corinthians no Beira-Rio, o Inter se preocupa com possíveis novos atos de vandalismo da torcida neste sábado, na rodada em que enfrenta o Figueirense, às 21h, novamente em casa. Medidas de segurança estão sendo tomadas para suportar um público que deve ultrapassar 40 mil pessoas – a parcial do final da tarde de quinta-feira (29) contabilizava 38 mil torcedores aptos a ir ao estádio.

Novos caso de depredação, violência ou agressão física podem ocasionar na perda do mando de campo ou até mesmo a perda de espaço para sua torcida no estádio – Palmeiras e Flamengo, por exemplo, foram prejudicados após uma briga entre organizadas. Como os jogos no Beira-Rio são, na visão da direção do Inter, essenciais para a luta contra o rebaixamento, o vice de administração Alexandre Limeira faz um apelo ao torcedor: proteste, esbraveje, mas de forma pacífica.

– Teremos a estrutura de segurança para um jogo de mais de 40 mil pessoas. Estamos promovendo algumas ações para evitar outros atos de vandalismo. Fomos absolvidos, mas temos certeza que se houver novo ato, seremos condenados. Estamos tomando as precauções necessárias – aponta Limeira.

A passarela do edifício-garagem será totalmente fechada com lycra. Como o trajeto faz parte da saída de todo o grupo profissional, e os torcedores costumam ficar embaixo da pequena ponte para manifestações mais veementes, não será possível ver quem está passano. Existe a preocupação de que algo seja arremessado contra os atletas.

O efetivo da Brigada Militar também estará de prontidão, bem como o Apoio Tático e a segurança privada contratada pelo próprio clube. Contra qualquer invasão de campo, os stewards terão como meta atenção redobrada. Na internet, manifestações após a partida incitam violência em caso de derrota.

VÍDEO: assista à confusão após a partida entre Inter x Corinthians em 31 de julho

Comentários

Comentários